A vida passa, veloz, mais veloz que o vento em dia de tempestade e a alma deixa-se empurrar por esse sopro forte e atordoante, que a deixa exaurida. Quando já viveu tempo suficiente para se aperceber das ilusões que manteve na juventude, o ser tenta resguardar-se dessa ventania para se abrigar na análise mais objetiva dos acontecimentos e daquilo que

Há os dias de semear. E há os dias de colher. Semear, mesmo que trabalhoso, proporciona um grande prazer. Já a colheita, o resultado dessa semeadura ou plantio, ainda que represente a conclusão do projeto inicial nem sempre traz satisfação. A terra é sempre fértil, já que falamos das emoções da alma. Conforme o que nela for depositado, os frutos serão doces,